Video on line

Baseada, principalmente, nos produtos da terra, a gastronomia da Ribeira Chã; faz as delícias de qualquer apreciador de uma boa mesa. Entre as sopas, destaca-se o Caldo de Neto, feito com couves e batata, a Sopa de Azedo, que leva feijão e pão de milho migado, e a Sopa de Funcho feita com feijão branco, couve, chourição de carne e, como o nome indica, o funcho, que lhe confere um sabor exótico e bem agradável.

Nos pratos de peixe, destacamos os Chicharros Assados na sertã e o Polvo Guisado com batatas, este último, com um sabor único devido aos seus condimentos: vinho de cheiro e canela. Dos pratos de carne escolhemos dois sabores diferentes, as Favas Guisadas, que embora sejam um legume são acompanhadas pelo saboroso chouriço de carne açoriano e a Carne de Vaca Assada, temperada com vinha d′alhos.

Em relação às sobremesas recomendamos: a Massa de Palito, feita com ovos, farinha de milho e açúcar e que acompanha muito bem uma chávena de chá; as Papas de Serpentina, que de fácil digestão e de distinto sabor, é preparada da farinha extraída de uma planta de nome Serpentina, que no Continente, é conhecida por "Jarro"; as Bolachas de Amon�aco, o saboroso Bolo de Banana, cuja receita é um segredo local (apenas passado de uma confeiteira para outra) e os Bolinhos da Avó.

 

Famosas, também, são as compotas, como por exemplo, de Uva, feita com uvas de vinho de cheiro, e as compotas de N éspera, Morango, Pêssego, Tomate de Capucho e de Ananás, que são um sucesso nas feiras gastronómicas. Outra compota local é a de Amora, sempre, com grande procura.

Para terminar este capítulo dedicado à gastronomia, não se pode deixar de falar dos licores. Apesar de não serem muito publicitados, os licores produzidos na freguesia da Ribeira Chã, já têm grande procura, principalmente os Licores de Poejo, de Leite, de Maracujá, de Cacau e de Néspera.

Não obstante, a leitura deste documento quem visita a Ribeira Chã poderá saber mais sobre a gastronomia local se consultar o livro "A Cozinha dos Nossos Avós", cuja a última edição é da responsabilidade da Junta de Freguesia e as anteriores da responsabilidade do Centro Social e Paroquial da Ribeira Chã.

Algumas Receitas Gastron ómicas:

Malassadas
De véspera faz-se o fermento, com quatro colheres de sopa de fermento de pão de milho, nove ovos, quatro colheres de açúcar. Bate-se tudo numa tigela e guarda-se tapado. No outro dia põe-se a farinha num alguidar, açúcar, o fermento, a banha, o sal diluído no leite morno e amassa-se tudo muito bem. Vai a levedar cerca de quatro dedos. De seguida, aquece-se a banha bem quente, estendem-se as malassadas nas mãos e vai-se fritando. Depois de fritas, polvilha-se com açúcar a gosto. Está pronto a servir aqueles que é um dos mais típicos doces de São Miguel. Comem-se sobretudo por altura do Carnaval.

Polvo Guisado

Para confeccionar este prato é necessário 1 kg de polvo, � kg de batatas pequenas, 2 copos de vinho de cheiro, 1 colher de sopa de massa de tomate e outra de pimenta, 1 pitada de canela, 1 cebola grande, 3 dentes de alho e 2 colheres de sopa de banha. Bate-se o polvo, corta-se aos pedaços, lava-se com água fria e depois com água a ferver. Num tacho põe-se a banha, a cebola picada miúda e os alhos picados, deixa-se alourar, junta-se o polvo que vai a destilar um pouco, mexendo-se sempre, junta-se os temperos e vai a cozer em lume brando tapado. Quando está cozido, juntam-se as batatas a cozer. Prova-se e rectifica-se os temperos.

Favas Guisadas

Receita tradicional, começa-se por cortar o olho das favas e lava-se. Põe-se uma panela ao lume com água, quando estão cozidas tempera-se com sal a gosto. Escorre-se um pouco de água de cozer e tempera-se com 1 cebola picada, 1 ramo de salsa picada, 1 colher de banha, um pouco de óleo, colarau, pimenta, polpa de tomate, sumo de limão branco, vai a cozer em lume brando mexendo pouco a pouco com a panela, para que o molho fique bem misturado; quando estão prontas abafa-se um pouco e serve-se em pratos ou travessas. Como sugestão, acrescente-se que se pode juntar chouriço cozido e cortado às rodelas.

Chicharros assados na sert ã

Arranja-se o peixe, lava-se, tempera-se de sal e deixa-se tomar o gosto durante algumas horas. Depois lava-se o peixe e passa-se por farinha de milho, vai a assar na sertã de barro bem quente, vira-se o peixe e tira-se. Ainda quente, passa-se pelo molho verde. Para a preparação do molho pica-se um dente de alho, um ramo de salsa, tempera-se com uma colher de sopa de calda de pimenta, uma colher de açafroa, sal q.b., mistura-se tudo e passa-se o peixe pelo molho.

Papas de farinha de serpentina

Para a preparação são necessários os seguintes ingredientes:

1 Litro de leite, 5 colheres de sopa de serpentina, 5 colheres de sopa de açúcar, uma pitada de sal e canela q.b. Mistura-se a farinha com o açúcar, junta-se um pouco de leite e com uma colher desfaz-se muito bem esta farinha, depois junta-se o restante leite e passa-se por um coador para a panela. Vai ao lume mexendo sempre, quando ferver deixa-se cozer cerca de dois minutos, põe-se numa travessa e enfeita-se com canela a gosto.

Desenvolvido por: Globaleda